NOTÍCIAS

 29/05/2018

Inventário da flora mostra preservação de nove espécies ameaçadas na RPPN Uruçu Capixaba

Nenhum comentário


Reserva particular tem 99% de cobertura florestal da Mata Atlântica

 

Inventário da flora na RPPN Uruçu Capixaba

 

O Instituto Brasileiro do Mar (Ibramar) publicou o inventário da flora preservada em sua Reserva Particular do Patrimônio Natural, denominada RPPN Uruçu Capixaba. O documento lista todas as espécies encontradas ao longo dos quatro hectares da extensão da reserva, localizada na comunidade de Soído, no município de Domingos Martins, na região de montanhas do Espírito Santo. O estudo fitossociólogico é um dos objetivos do Projeto Uruçu Capixaba, que conta com o patrocínio da Petrobras.

Foram encontradas 83 espécies, 54 gêneros e 38 famílias botânicas diferentes em uma amostra de 232 árvores catalogadas. Deste total, nove espécies estão em listas de espécies protegidas ou ameaçadas de extinção, reforçando a importância da conservação da área.

Entre as espécies preservadas listadas, estão: Guateria australis, Cordia trichoclada, Cyathea corcovadensis, Myrcia tijucensis, Bathysa australis (listadas pelo Centro Nacional de Conservação da Flora – CNC e classificadas como espécie menos preocupante), Xylopia brasiliensis (espécie quase ameaçada, de acordo com o CNC), Euterpe edulis (espécie vulnerável), Couratari asterotricha (ameaçada de extinção na classificação do Ministério do Meio Ambiente) e a Brosimum glaziovii (espécie ameaçada, segundo a União Internacional para Conservação da Natureza – IUCN).

“Os estudos fitossociólogicos realizados na RPPN, apontaram que esse fragmento apresenta um bom nível de conservação, altos índices de diversidade, principalmente considerando o contexto de inserção da Unidade de Conservação, com ambiente florestal com alto grau de fragmentação. Fato também importante é a presença de espécies ameaçadas de extinção no interior da RPPN, o que eleva ainda mais o grau de importância ambiental da reserva”, observa o engenheiro florestal Guilherme Diniz, consultor do Ibramar.

O inventário revela ainda a grande diversidade de espécies dentro da RPPN Uruçu Capixaba. O resultado do Índice de Shannon-Weaver, que mede a biodiversidade em determinada área, foi de 3,64. Na comparação com outros estudos realizados em florestas parecidas, a reserva particular possui uma diversidade florística mais alta que a Floresta Ombrófila Densa inserida no Parque Estadual da Pedra Azul (2,70) e um pouco mais baixa que algumas formações presentes na Reserva Biológica de Sooretama (4,87) – esta última, a mais antiga área protegida do Estado e declarada como Patrimônio Natural Mundial da Humanidade pela UNESCO.

Em relação à cobertura florestal, a RPPN tem aproximadamente 99% de sua superfície coberta pela formação florestal caracterizado por pertencer ao Bioma Mata Atlântica. O estado de conservação do fragmento caracterizado como Floresta Ombrófila Densa Montana é bom, sendo classificado como estágio médio de sucessão ecológica com ligeira aproximação ao nível seguinte. “Sem dúvidas, um remanescente de vegetação com alto valor ambiental, inserido em região de aptidão agrícola que sem ações conservacionistas como o ato de criação da RPPN Uruçu Capixaba, se perderia”, completou Diniz.

O Projeto Uruçu Capixaba é desenvolvido na RPPN de mesmo nome e também nas comunidades de São Bento do Chapéu e Paraju (comunidade Recanto Feliz), todas no município de Domingos Martins. A iniciativa patrocinada pela Petrobras, por meio do Programa Petrobras Socioambiental, visa proporcionar medidas integradas de restauração florestal que irão permitir traçar estratégias de conservação das abelhas nativas, com destaque para a Melipona capixaba.

A RRPN Uruçu Capixaba pertence ao Ibramar e foi criada em 2016 pelo órgão ambiental, através da Portaria Conjunta SEAMA/IEMA Nº 003-R, de 29 de março de 2016, com quatro hectares de área. O nome é uma homenagem a uma espécie de abelha sem ferrão, que consta na lista de espécies ameaçadas e que tem importante papel na polinização da Mata Atlântica. O bioma na região vem sofrendo constante supressão da sua vegetação devido a expansão agropecuária, o que causou intensa fragmentação da sua vegetação original, colocando em risco o fluxo gênico das populações, tanto da fauna quanto da flora.

Veja a íntegra do inventário da Flora na RPPN Uruçu Capixaba neste link: https://bit.ly/2sGvrVo

Sobre o IBRAMAR

O Instituto Brasileiro do Mar – IBRAMAR é uma entidade sem fins lucrativos criada em 2008, com personalidade jurídica de direito privado e de interesse público. A entidade surgiu a partir da iniciativa de profissionais ligados aos setores de meio ambiente e de ações sociais, preocupados com os três principais pilares de apoio à sustentabilidade: desenvolvimento econômico com responsabilidade social, respeito às comunidades tradicionais e disseminação de conceitos de educação socioambiental.

Entre as ações desenvolvidas pela entidade, estão: o Projeto Renascente, com foco na recuperação florestal em áreas de preservação permanente no entorno de nascentes e cursos d’água da bacia do Rio Jucu, que abastece a região metropolitana da Grande Vitória; e o Projeto Tilápia das Montanhas, que desenvolve uma tecnologia social de baixo custo para o aquecimento de água utilizada na aquicultura, utilizando fontes de energias alternativas em pequenas propriedades rurais no município de Domingos Martins.


Deixe uma resposta

Desenvolvido por: